Crônicas de conteúdo histórico-cultural sobre artistas, personalidades, políticos e acontecimentos em Duque de Caxias, RJ, projeto concebido pelos jornalistas Alberto Marques e Josué Cardoso.

quinta-feira, novembro 10, 2005

COLÉGIO AQUINO DE ARAÚJO, PIONEIRO NA REDE PÚBLICA DE ENSINO DO MUNICÍPIO (Coluna 147)

Nessa casa, na Rua General Manoel Rabelo, na Vila São Luiz, foi instalado o primeiro estabelecimento oficial de ensino secundário criado para ministrar o curso ginasial numa época em que só escolas particulares ofereciam esse curso, que complementava o antigo curso primário

► Em março do próximo ano, o Colégio Municipal Expedicionário Aquino de Araújo estará completando meio século de existência, com uma invejável folha de serviços prestados à Educação em Duque de Caxias. Pioneiro no antigo Curso Ginasial, foi uma corajosa iniciativa do então Prefeito Francisco Correa, jocosamente chamado pelos opositores de "Chico da Bomba". Vinculado ao PSD do Almirante Ernani do Amaral Peixoto, o prefeito era um homem de pouca cultura, mas de inacreditável sinceridade para os padrões políticos da Baixada Fluminense, mesmo nos anos 50. Adversário do deputado Tenório Cavalcante, o prefeito Francisco Correia tomou decisões que tiveram profunda repercussão no futuro do Município, entre ais quais a construção do viaduto ligando as duas partes da cidade, separadas pelos trilhos da Estrada de Ferro Leopoldina, bem como transferiu de um acanhado sobrado da Avenida Presidente Kennedy, de propriedade do deputado Tenório Cavalcante, a sede da prefeitura, que passou a funcionar num amplo galpão no bairro 25 de Agosto, que fora sede de uma fábrica de macarrão do deputado Tupynambá de Castro, também filiado ao PSD, em frente à Praça Riachuelo, hoje Praça Governador Roberto Silveira, justamente na cabeceira do futuro viaduto. Foi também por iniciativa do prefeito Francisco Correa a primeira tentativa de pavimentação da Avenida Assis Brasil, que ligava a Rodovia Washington Luis ao Centro, obra que só foi concluída no primeiro Governo Moacyr do Carmo, em 1968, resultando na hoje importante Avenida Brigadeiro Lima e Silva, principal portal de entrada do Município para os visitantes que viajam pela Avenida Brasil ou pela Linha Vermelha. Embora fosse um homem simples, o Sr. Francisco Correa, teve uma única e tímida homenagem depois de morto, que foi o de darem o seu nome ao viaduto que ele construiu, embora todos os órgãos oficiais insistam em chamá-lo de Viaduto Paulo Lins, pois é a continuação da Rua Paulo Lins, assim denominada em homenagem a uma das vítimas do deputado Tenório Cavalcante. Francisco Correa tinha uma visão muito pessoal do que seria Duque de Caxias no futuro. Sem contar com as benesses do Salário Educação, que iria financiar a expansão da rede de ensino oficial a partir dos anos 60, sem o FUNDEF criado no Governo FHC sob violentos protestos do PT e outros partidos ditos de esquerda, o ensino oficial em Duque de Caxias nos anos 50 não ia além da 4ª Série do antigo Curso Primário. Quem quisesse continuar os estudos, no então Curso Ginasial, só podia fazê-lo em escolas particulares, onde se destacavam o Ginásio Santo Antônio, criado em 1940 pelas irmãs Franciscanas e exclusivo para meninas, o Ginásio Duque de Caxias, no Centro, criado em 1934, ou o Ginásio Primavera, criado pelo professor Nelson Cintra em Jardim Primavera, no 2º Distrito, todos pagos e cujas mensalidades passavam longe do acesso da maioria da população. A criação do primeiro Ginásio Municipal de Duque de Caxias enfrentou, além da resistência na Câmara de Vereadores, onde o deputado Tenório Cavalcante exercia forte influência, a falta de professores legalmente habilitados para lecionar nesse seguimento do ensino. Segundo o ex-Secretário de Educação do Município, Stélio Lacerda, em seu livro "Uma Passagem pela Caxias dos anos 60", o problema também afetava o chamado Curso Primário, mas para este as autoridades do antigo Ministério da Educação e Cultura encontraram um jeitinho tipicamente brasileiro: ofereciam aos interessados em exercer o Magistério a possibilidade de se submeterem a um Exame de Suficiência, concedendo aos aprovados o "Registro de Professor", habilitando-os, assim, a exercerem a difícil missão de preparar os nossos jovens para o futuro. Para implantar o primeiro Ginásio Municipal de Duque de Caxias, o prefeito Francisco Correa escolheu o então jovem professor Álvaro Lopes, que atuava nos Ginásios Duque de Caxias e Primavera e poucos anos mais tarde foi nomeado primeiro diretor do Instituto de Educação Governador Roberto Silveira. O primeiro grupo de professores era formado por Olga Teixeira de Oliveira, Fernando Gonçalves, Odila Navarro Vasconcellos, Arthur Moacyr Garcia de Oliveira, José Cozzolino, Elza dos Santos Reis, Withe Abraão, Josette de Campos Soares, Jefferson Serafim, Hermínia Ribeiro Beraldi e Marina Lessa Fontes, todos integrantes do primeiro time de professores atuando á época em colégios particulares de Duque de Caxias. O nome do primeiro Ginásio Municipal foi uma homenagem ao Expedicionário Aquino de Araújo, um dos caxienses integrantes da FEB mortos durante a II Guerra Mundial. Outros professores igualmente importantes passaram pela direção ou pelo corpo docente do Aquino de Araújo, como a saudosa Olga Teixeira, o hoje Defensor Público Jorge Fortunato, criador do Colégio São Jorge, o ex-Secretário de Habitação Jorge Franco, e Ivan Kriloff. O governo tem, agora, pela frente um razoável prazo para organizar as festividades comemorativas do 50º aniversário de fundação do hoje Colégio Municipal Aquino de Araújo que, ao lado do Colégio Olga Teixeira e outros, criados nos últimos 10 anos, oferecem às camadas mais pobres da população a chance de fugir do analfabetismo e se preparar para os embates do mercado de trabalho, sempre ansioso for jovens com elevada formação técnico-profissional, o que seria impensável na década de 50. E o Governo ainda tem a chance de fazer um reparo histórico à passagem do prefeito Francisco Correa pelo mais alto cargo da administração, numa época em que as prefeituras andavam de pires na mão, em busca das cotas-partes do Imposto de Vendas e Consignações, o famigerado IVC, anterior ao ICMS, que hoje vai diretamente para a conta da prefeitura, sem depender da boa ou má vontade do governador de plantão.

(Publicada em "O MUNICIPAL", Edição Nº 9048 (11 A 18-11-2005, pg, 5)
CONCEPÇÃO: ALBERTO MARQUES E JOSUÉ CARDOSO. FOTO: ACERVO DO INSTITUTO HISTÓRICO VEREADOR THOMÉ SIQUEIRA BARRETO (CÂMARA MUNICIPAL DE DUQUE DE CAXIAS)

20 Comentários:

Anonymous Fernando Correa disse...

Primeiramente gostaria de desculpar-me pela falta de acentuacao, pois estou usando um notebook em outro idioma. Ha alguns anos morei na Italia e fiquei impressionado como qualquer italiano da valor a sua cultura, local ou nao.
Certa vez perguntei a um garoto de cerca 12 anos algo sobre os Etruscos. A resposta dele foi uma viagem aos tempos em que a regiao italiana era povoada por 12 tribos, Albanos, Latinos, Sabinos, Etruscos, etc... e que a supremacia de uma tribo sobre as outras, era determinada pela quantidade de obras realizadas (pontes, Predios) durante o periodo de alguns anos. Apos esse periodo eles se reuniam nesta regiao, a beira do Lago de Vico, para escolherem quem reinaria no proximo periodo. Nessa epoca um povo guerreiro (os Latinos), que nao realizava obra alguma, e por serem guerreiros, invadiram a tribo dos Sabinos e sequestraram suas mulheres (o que conhecemos como "O rapto das Sabinas). Desde entao essa cultura acabou e comecou o inicio do Imperio Romano. Lendo sua coluna, constato que desconhecemos tudo de nossa historia local e muito de nossa historia como brasileiros. Porque?
Cultura de massa? O fato e que nao sabemos. Seu blog nos serve, tanto como pesquisa historica, quanto para o enriquecimento da cultua local.
Parabens.
Fernando Correa e Caldas.
Neto do Seu "Chico da Bomba" ou "Chico Correa".

9:04 AM, janeiro 11, 2007

 
Anonymous Anônimo disse...

Preazados amigos:

Soui nascido e fui criado em Duque de Caxias, onde morei na Rua Bahia, no bairro Paulicéia até 1966.
Duque de Caxias é uma cidade da qual, naturalmente, tenho muito boas e caras lembranças. Estudei aí até o 4o ano ginasial (hoje, 8a. série do 1o. grau) no então Ginásio Muniicipal Expedicionário Aquino de Araújo ao final da década de 50, precisamente de 1957 a 1960, saindo em 1961 para a cursar a Escola Preparatória de Cadetes-do-ar em Barbacena, MG, iniciando uma bem sucedida carreira militar, na FAB, sou Coronel-Aviador da reserva e atualmente, como engenheiro aeronáutico, trabalho na Embraer em São José dos Campos SP, onde moro.
Estou procurando retomar contacto com uma família cujo membro mais ilustre é o ex-vereador Sandy Coutinho, que por muitas legislaturas ocupou esse cargo eletivo na Câmara Municipal de minha cidade natal. Conheci também sua esposa, D. Yone e sua filha, que se chamava Teresa Maria Carvalho Coutinho, atualmente, com sobrenome mudado para Coutinho Kimura.

Será que os edtores deste lindo Blog (Alberto Marques e Josué Cardoso) ou algum de seus leitores têm algum registro dele (se ainda vivo) ou de sua família? Telefone, endereço, email...

Agradeço, antecipadamente a atenção,

Wilson Guimarães Cavalcanti
São José dos Campos, SP

4:47 PM, março 26, 2008

 
Anonymous Wilson Cavalcanti disse...

Meu comentário saiu como anônimo por erro no envio, deveria constar meu nome...
Wilson Cavalcanti

4:49 PM, março 26, 2008

 
Anonymous Wilson Cavalcanti disse...

Mais um engano, e mais uma "pista":

1) Engano: o nome da Tereza é com Z e não S, como constou:

Era: Tereza Maria Carvalho Coutinho

Deve ser atualmente:Tereza Maria Coutinho Kimura.

2) "Pista" adicional: ela foi professora de inglês no antigo Colégio Castelo Branco, hoje mudado, com justiça (!!!), para Olga Teixeira, homenageando a minha querida e saudosa professora de Português no Aquino de Araújo!

Obrigado, de coração, quem puder ajudar..

Wilson Cavacanti

4:55 PM, março 26, 2008

 
Anonymous Anônimo disse...

WILSON GUIMARÃES CAVALCANTI
Hoje, dia 08.01.2009 vi seu comentário sobre a familia de Sandy Coutinho, sou sobrinha dele filha de Jocely Coutinho sua irmã, ontem estive com Teresa pois foi seu aniversário, ela atualmente mora em Nova Iguaçu com seus filhos e já tem uma netinha. Infelizmente tanto tio Sandy e tia Yone já faleceram.

4:37 PM, janeiro 08, 2009

 
Anonymous Sayuri Kimura disse...

Olá Wilson. Meu nome é Sayuri Kimura, sou a filha mais velha da Tereza.
Minha tia falou para ela que tinha uma pessoa procurando por ela na internet e acho que ela ficou assustada, mas quando falei o seu nome ela lembrou na hora.
Achei engraçado a sua "busca" (rsrsrs), mas deu certo.
Segue meu email. Caso queria eu posso te informar o email dela.

Meu email sayuri.allmax@gmail.com

Aguardo seu contato.

Abraços,
Sayuri

6:25 PM, janeiro 08, 2009

 
Anonymous Guará Matos disse...

Estudei na década de 70 no Aquino de Araujo e até hoje, estou com 51 anos, sinto muitas saudades daquele que foi o melhor colégio que tive o prazer de ser aluno.
Lemnetável não encontro fotos atuais.
Abraços.

1:51 PM, julho 20, 2009

 
Anonymous Tatiana correia disse...

Estudei no aquino no ano de 1990.Foi a melhor escolha em colégio público que fiz!!!Fui feliz lá,com professores atenciosos e determinados a ensinar!!Tive como professor de educação fisica o saudoso alberto,q além de professor era um amigo excepcional!!!Parabéns Escola municipal aquino de araujo,pela formação de profissionais de carater!!!

7:54 AM, agosto 08, 2009

 
Blogger Alexande disse...

Saudações alvinegras aos leitores deste blog.
Meu nome é Alexandre tenho 37 anos e também sou nascido e criado em Caxias. Minha infância e adolescência foram no Parque Lafaiete; hoje, já casado, moro na Vila São Luís, curso a graduação em Letras/Literaturas na UNIGRANRIO e estou na fase do estágio. Busquei uma escola pública em função da realidade educacional neste país e, iniciei recentemente minha experiência em lidar com o magistério na Escola Exp. Aquino de Araújo.
Morando aqui no bairro, sempre ouvíamos e sabíamos que esta escola tinha problema de origem disciplinar e percebíamos a decadência plena do nosso sistema educacional. Após algumas gerações na Administração Pública e hoje adentro aos portões, vejo uma instituição bem organizada mas necessitando de investimentos, dado a sua importância histórica, haveríamos de imaginar que ela pudesse se tornar uma escola modelo. Contudo; percebo que há no meio das pessoas que fazem esta estrutura funcionar, uma vontade de melhoria educacional, ainda acredito também na possibilidade de sermos como educadores, no tangente ao futuro dos alunos, a alavanca mestra de uma sociedade mais civilizada e apegada aos valores constitutivos de uma sociedade melhor. A afirmação e a soberania do educador tem de ser preservada em vista de uma real mudança nesta realidade presente, a influência negativa da violência deve ser combatida exatamente como vejo nesta escola: do portão para fora, uma vez que, assim, teremos oportunidades de trabalharmos com o ensino. Não temos como negar que a atual estrutura familiar presente, dificulta muito a continuidade do processo de aprendizagem e, muitas vezes transferida a responsabilidade aos educadores de uma obrigação que se deve existir dentro de casa
Parabenizo a todos desta gestão e de outras que, dedicaram-se na melhoria desta unidade de ensino, fico esperançoso de que as mudanças nunca fiquem somente nos projetos e sim, que tornem-se o incentivo nesta lida tão trabalhosa que é a arte de educar.

3:35 PM, setembro 02, 2009

 
Blogger Alexande disse...

Saudações alvinegras aos leitores deste blog.
Meu nome é Alexandre tenho 37 anos e também sou nascido e criado em Caxias. Minha infância e adolescência foram no Parque Lafaiete; hoje, já casado, moro na Vila São Luís, curso a graduação em Letras/Literaturas na UNIGRANRIO e estou na fase do estágio. Busquei uma escola pública em função da realidade educacional neste país e, iniciei recentemente minha experiência em lidar com o magistério na Escola Exp. Aquino de Araújo.
Morando aqui no bairro, sempre ouvíamos e sabíamos que esta escola tinha problema de origem disciplinar e percebíamos a decadência plena do nosso sistema educacional. Após algumas gerações na Administração Pública e hoje adentro aos portões, vejo uma instituição bem organizada mas necessitando de investimentos, dado a sua importância histórica, haveríamos de imaginar que ela pudesse se tornar uma escola modelo. Contudo; percebo que há no meio das pessoas que fazem esta estrutura funcionar, uma vontade de melhoria educacional, ainda acredito também na possibilidade de sermos como educadores, no tangente ao futuro dos alunos, a alavanca mestra de uma sociedade mais civilizada e apegada aos valores constitutivos de uma sociedade melhor. A afirmação e a soberania do educador tem de ser preservada em vista de uma real mudança nesta realidade presente, a influência negativa da violência deve ser combatida exatamente como vejo nesta escola: do portão para fora, uma vez que, assim, teremos oportunidades de trabalharmos com o ensino. Não temos como negar que a atual estrutura familiar, dificulta muito a continuidade do processo de aprendizagem e, muitas vezes transferida a responsabilidade aos educadores de uma obrigação que se deve existir dentro de casa.
Parabenizo a todos desta gestão e de outras que, dedicaram-se na melhoria desta unidade de ensino, fico esperançoso de que as mudanças nunca fiquem somente nos projetos e sim, que tornem-se o incentivo nesta lida tão trabalhosa que é a arte de educar.

3:41 PM, setembro 02, 2009

 
Anonymous Anônimo disse...

Olá pessoas aqui quem fala é um dos alunos do aquino de araujo , que agora tem a sala de informatica com internet , a escole que eu li pelos comentarios deveria ser boa mais agora é uma merda , muitos alunos bagunceiros , muitas malcriações muitas brigas , o aquino agora esta mal falado :D
contato : jjcaxias@hotmail.com

11:15 AM, novembro 19, 2009

 
Anonymous P Rodrigo disse...

Mutio interessante essa pesquisa sobre a gloriosa Escola Aquino de Araújo
Bom, sou um antigo e recente aluno da escola. Saí faz uns 6 meses, porque conclui meu 2° segmento do ensino fundamental e atualmente estou cursando o ensino médio no Colégio (federal) Pedro II.
Eu concordo em parte com o que o "Anônimo". A escola atualmente está com uma parte de alunos bagunceiros e malcriados e ocorrem brigas, porém o ensino dessa escola continua sendo incrível. Graças à educação que recebi lá, consegui aprovações em diversas instituições federais. Eu agardeço muito a todos o corpo docente da escola que, com sua capacidade de luta e otimização em meio ao descaso público, conseguiu proporcionar a mim e a todos os meus colegas de classe um excelente ensino. Agradeço muito a essas pessoas. Porque, se não você vcs, eu não teria chegado aonde eu cheguei. Não teria mostrado para aqueles que acham que só porque estudaram numa escola particular são melhores do que os que estudaram em uma pública.
Eu só tenho a agradecer à escola.
Parabéns
Vcs verdadeiramente são profissionais da educação

contato
msn: seya_simpleplan@hotmail.com

6:37 PM, junho 03, 2010

 
Blogger tania disse...

estudei no aquino nos de 1973 a 1976 e gostaria de encontrar alguns colegas como monica solange marta que estudaram com o gato do professor paulo de matematica e o otimo professor luiz sebastiao pereira teixeira de portugues

7:55 PM, julho 24, 2010

 
Blogger tania disse...

que maravilha de colegio quantas saudades quero tanto entrar em contato com ex alunos dos anos de 1973 a1976 professor paulo de matematica o melhor professor

7:58 PM, julho 24, 2010

 
Blogger Celso disse...

Ao ver a citação do Colegio São Jorge senti saudade da minha infancia e adolecência vivida em Duque de Caxias. Gostaria de contato com o pessoal do 2 grau da turma de 73/76, do Col. São Jorge.
Meu E-mail: cjm.celso@gmail.com

1:30 AM, agosto 21, 2010

 
Blogger mengana disse...

Postado por Dirmar Vieira
Nossa q saudade! Fui aluno do Aquino desde a sua inauguraçao ate 1961 quando conclui o ginasio. Quantas lembranças, D. Argentina, Seu Simas, o "Testinha" apelido carinhoso do diretor que ficou impressionado com a quantidade de giletes encravadas no teto da sala de aula atiradas pelos "pestinhas". Grande abraço ao Wilson Cavalcanti, colega de sala. Professores excelentes dos quais lembro-me ate hoje. A D.Odila que ja entrava falando em frances, "Bonjour mes enfants" e turma respondia, "Bonjour madame, commant allez vous?", e como era brava! Fiquei grandemente emocionado e agradecido por rever os nomes de todos professores.Morei na rua Itaciba e atualmente resido em Curitiba. Parabens ao blogueiro que criou esse registro.

11:53 PM, setembro 17, 2010

 
Blogger fernanda disse...

Bom dia ... eu sou aluna do colegio Aquino de Araujo e curso o 7ano 6 serie , e acho que o aquino melhoro muito de alguns anos para cá....
quando eu entrei no quino tds falou mal dele ,mas depois eu vi q era outra coisa muito melhor.
fernanda Lara

5:52 PM, outubro 10, 2010

 
Blogger blackpqdt@hotmail.com disse...

Boa noite, tenho 45 anos e não sei se ainda existe, estudei no colégio são jorge no bairro 25 de agosto próximo ao fórum no ano de 1970 se não me engano, sabe ,e dizer se ainda existe? se tem um meio de obter informação sobre ele? meu e-mail black.pq.dt@hotmail.com. muito obrigado.

10:24 PM, fevereiro 27, 2011

 
Anonymous aline carvalho disse...

oi tenho 26 anos e estudei no aquino de araújo da quinta á oitava série, sai de lá no ano 2000 e até hoje sinto muita saudade de tudo. o ensino era maravilhoso e eu gostava de cada um dos professores fiz amigos e aprendi muito; infelizmente esse tempo não volta mais,enfim quero deixar aqui um pouco da minha lembrança e da minha satisfação de poder dizer que fiz parte de um pedaçinho da história do aquino de araújo. saudades!!!!!!

1:30 AM, agosto 08, 2011

 
Blogger ex-controlador de tráfego aéreo disse...

Meu nome é José Tadeu Alves Inácio, estudei no período matutino no Aquino de 73 a 75, morava na Rua Santos Dumont, bairro 21 de Abril. Hoje sou Capitão aposentado da Aeronáutica e Odontólogo, morando em Campo Grande, MS. A diretora à época era a Senhora Josete Campos.
Tenho seguido timidamente este excelente blog há algum tempo e hoje me deparei com essa postagem ao procurar contatos de minha passagem pelo Aquino.
Parabéns ao autor pelo resgate desses fragmentos de história, dos quais nossa memória carece e que são importantes para manter a identidade a que temos direito.

Um abraço fraterno!!!

12:24 AM, setembro 11, 2011

 

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Página inicial